Isabel Guimaraes – A vida de Nikola Tesla à Luz da Astrologia

Ao longo destas edições pretendemos levar a vida de Nikola Tesla numa ligação aos padrões astrológicos de forma a convidar o leitor a mergulhar nesta linguagem ancestral que nos ajuda a identificar padrões e a encontrar ciclos de vida que nos ajudam a entender como nos ligamos ao TODO.

Este último artigo direciona para os últimos tempos da sua vida, com várias literaturas que fui encontrando nas pesquisas que realizei e com as técnicas de previsão que referi no artigo anterior para levar o leitor a uma correlação com a astrologia.

Começo por me concentrar na polémica que foi criada na altura da inauguração da usina sendo um dos capítulos da “guerra das correntes”, com a disputa que se arrastou por anos entre Tesla e Edison – que não acreditava na corrente alternada e chegou a fazer campanha contra a mesma.

Apesar das polémicas, os dois inventores tinham uma rivalidade cordial, diz Seifer. “Ao contrário do que muita gente pensa, eles não eram inimigos. Trocaram cartas por anos”. Confirmado também por Bernard Carlson, professor de história da tecnologia na Universidade da Virgínia e autor de Tesla: Inventor of the Electrical Age (Tesla: o Inventor da Era da Eletricidade, em tradução livre).

Para podermos verificar através da astrologia se existia alguma tensão que fundamente a fama que se foi desenvolvendo ao longo dos anos que ambos tinham essa rivalidade, procurei os dados no Astrodatabank de Thomas Edison e usarei as técnicas de comparação entre mapas, com a técnica da Sinastria e o Mapa Composto.

Nikola Tesla (à esquerda) e Thomas Edison (à direita)

No mapa de Sinastria, vamos observar quais são os contactos que existem entre os planetas de Nikola e dos de Thomas. É como se os planetas de um estivessem conversando com os do outro. Às vezes, mesmo que haja alguns contactos difíceis, certas interações que geram muita harmonia podem amenizar esses aspetos tensos, criando maior tolerância entre duas pessoas. Como estou a verificar dois seres com bastante popularidade na época, e como a história nos indica dois rivais, irei observar as ligações do Sol/Lua, identidade/popularidade, Marte nos conflitos, disputas e até mesmo iniciativas que poderão indicar boa relação, e a Vénus pelo lado do dinheiro e valorização do trabalho que cada um investia.

 

O Sol de Nikola não faz nenhum aspeto com o Sol de Thomas, e as restantes ligações como o trígono a Marte são de interação favorável nas suas iniciativas. Se colocarmos o Sol de Nikola no mapa de Thomas apesar de não termos aspeto, a área de vida que influencia é a casa da profundidade das águas plutónicas, trazendo uma profunda transformação a Thomas, obrigando a rever os seus investimentos. No entanto se colocarmos ao contrário, a carreira e a popularidade de Nikola foi muito “iluminada” por Thomas permitindo o mesmo dar mais energia e vitalidade ao seu trabalho.

A tensão que existe na Sinastria é entre as Luas, mas que pode ser analisada como o desafio que os munia na época, no que respeita a popularidade que cada um usufruía. Analisemos:

Lua em Peixes conjunto a Neptuno na área de vida  X e a Lua em Sagitário conjunto a Marte na área de vida II natal, ajudam a concluir que Thomas tinha mais necessidade de criar conflitos e ataques à reputação de Nikola que o próprio, visto que Tesla gostava de viver no seu próprio mundo, na sua ligação com o grande sonho que tinha e que se pode fundamentar com esta ligação astrológica. No entanto, a quadratura criada pode sempre levar a uma ilusão de levar ao público essa ideia que eram rivais “ferozes”.

A Vénus de Nikola esta muito bem ligada à de Thomas, no entanto nem sempre em Sinastrias as boas ligações possam trazer os resultados esperados. Por vezes facilitamos na confiança que ganhamos com o outro e não estamos em alerta. Aqui, podemos dizer que a Vénus de Thomas faz muitos ajustes ao mapa de Tesla, no entanto, parece que ambos até usufruíam da popularidade criada para poderem ter ainda mais visibilidade.

Observando o mapa composto, ponto médio do arco mais curto unindo cada ponto do mapa, ângulo e cúspide interna dentro dos dois mapas de base torna-se a posição desse ponto no novo mapa.

 

 

O principal motivo da rivalidade entre Thomas Edison e Nikola Tesla foi a patente das aplicações de corrente contínua e corrente alternada, o que viria a mudar a maneira como a eletricidade era usada. O registo de corrente contínua já pertencia a Edison e ela era aplicada nas invenções do cientista. Já Tesla patenteou sua descoberta de corrente alternada para utilizá-la em máquinas que já havia inventado ainda em Paris, como a turbina que ganhou seu nome, o motor de indução e o transformador de alta voltagem. Verificamos no mapa esta ligação com a ocupação da área de vida III, com a ligação ao signo de Touro, onde Vénus se encontra domiciliado e no FC, as raízes da estrutura da sua relação. A força de Marte no MC, domiciliado em Escorpião, indica a iniciativa e ação da individualidade de cada um, podendo levar a conflitos na forma como cada um expunha suas invenções, com o regente moderno na área III. No entanto, o sonho regia ambos, levando muitas vezes a confusões e mal-entendidos que ambos acabavam por impulsionar cada um, estruturando a sua forma de expandir suas invenções. A “Guerra de Conflitos” é notória, mas acredito de forma a criarem um propósito maior. Poderia até dizer que a relação entre os dois, no máximo, como “rivalidade de negócios”.

É muito complexo apontar um dos dois como mais importante que o outro. As invenções de Edison mudaram a vida cotidiana do ser humano na virada do século XIX para o XX, enquanto que Tesla é responsável por uma revolução na maneira como usamos a energia elétrica.

A história menciona que Tesla não teve namoradas, nunca casou ou teve filhos, mas reunia uma legião de amigas com quem trocava cartas, entre elas Katherine Johnson, esposa do escritor Robert Underwood Johnson, e Corinne Roosevelt, irmã do presidente Roosevelt.

Em 1901, Tesla dá início ao seu mais ambicioso projeto, o qual nunca conseguiu realizar. Com um empréstimo de US$ 150 mil do banqueiro John Pierpont Morgan, comprou um grande terreno em Long Island, construiu um laboratório e ergueu uma torre, batizada de Wardenclyffe.

O inventor morreu no dia 7 de janeiro de 1943, na suite 3327 do hotel New Yorker, nos EUA, no 33º andar, ele tinha obsessão pelo número 3 e seus múltiplos. Pobre, passou os últimos anos vivendo na suite do hotel graças a Westinghouse. “Ele tinha feito fortuna com as patentes de Tesla, que ameaçou processá-lo caso ele não o ajudasse”.

 

 

A dor de Tesla na sua solidão é sentida pela ativação do seu Saturno Natal, no momento da sua morte na área de vida XII. A ferida sentida pela ligação de Kiron a Mercúrio leva-nos a Úrano, onde é ativado pela Lua em Touro no mapa progredido valorizando as suas invenções e deixando um valioso legado para a humanidade. Os nodos são ativados pela regência de Marte em Sagitário formando uma conjunção entre eles e aumentando a debilidade da sua vitalidade, mostrando a sua fraqueza e ao mesmo tempo o cumprimento do seu propósito de vida.

Plutão no dia da sua morte ativa a conjunção natal do seu Sol/Vénus em Caranguejo, mostrando no progredido a conjunção ao seu Plutão natal, onde o regente Vénus ativa o seu Kiron, a transmutação é visível e sua partida desta dimensão. A Lua regente natural do seu Sol e desta configuração ativa a área de vida XII, e liga-se à casa IX em Aquário trazendo a ligação a Juno e Mercúrio deixando seu legado para a humanidade. Na técnica do Arco Solar verifica-se a ativação do Yod ou Dedo de Deus, pelo planeta Marte em Capricórnio ligado ao seu Nodo Sul, Lua e Úrano, no exato grau 18, renuncia ao passado para ingressar a uma nova fase na vida, que nos é direcionada para Neptuno no MC.

Muito poderia falar deste mapa que acaba por não ser uma morte de vida, mas sim do seu corpo físico, mantendo a ativação do seu mapa na forma como a sua obra ainda hoje é bem viva na era que vivemos.

Em sua homenagem, no ano de 1960 no mês de outubro, foi criado o “Tesla”, uma unidade do Sistema Internacional que mede a densidade do fluxo magnético ou a indução magnética (geralmente conhecida como campo magnético “B”). A cratera Tesla no lado mais distante da Lua e o planeta menor 2244 Tesla foram também nomeados em sua honra.

Ao observar o mapa desta altura, é ativado o Saturno em Caranguejo, assim como Marte dando a iniciativa e força a estrutura ao trabalho legado por Tesla. O Nodo Sul em Peixes ativa a sua conjunção natal, entre Lua/Neptuno, resgatando o passado de uma popularidade notória e merecida. O regente do MC ativa a área de vida VI o trabalho de Tesla ao serviço dos outros, sendo que a conjunção de Vénus/Mercúrio em Escorpião revelam a sua valorização e profundidade.

Um trabalho de grande prazer que permite que cada astrólogo possa desenvolver a vida e obra de uma figura pública no sentido de ligar a astrologia fundamentando e credibilizado a análise astrológica.

 

Referencias

  1. Da BBC Brasil em São Paulo
  2. Imagens google
  3. Canal História a “Morte de Tesla”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *